O Curso


Histórico 

Em meio a um cenário em que emerge a busca por um processo de desenvolvimento ecologicamente equilibrado, economicamente viável, culturalmente harmonioso e includente, visando garantir recursos para as gerações atuais e futuras. Considerando o acelerado processo de exploração e deterioração de recursos naturais pelo qual a região amazônica tem passado nas últimas décadas, se fazem urgentes ações que possam propiciar:

a) o entendimento das características e da dinâmica do ecossistema amazônico e suas respostas frente às alterações de origem antrópica; b) o aperfeiçoamento e ou desenvolvimento de métodos, técnicas e princípios de abordagens na avaliação, prognóstico e diagnóstico ambiental que possam contribuir para o desenvolvimento de indicadores e modelos de gestão baseados em princípios de sustentabilidade e nas particularidades regionais, que por sua vez, auxiliam na definição das ações de remediação e de controle ambiental, com foco em ações de saneamento básico e conservação dos recursos naturais de modo integrado.

Nesse sentido, foi criado na Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) – Campus de Ji-Paraná, o curso de Bacharelado em Engenharia Ambiental (atualmente Bacharelado em Engenharia Ambiental e Sanitária), em funcionamento desde o ano de 2007, tendo por objetivo a formação do Engenheiro Ambiental (atualmente Engenheiro Ambiental e Sanitarista), de modo a atender às demandas da sociedade com vistas às políticas de desenvolvimento nacional, com base nos conhecimentos científicos, tecnológicos e sociais visando o desenvolvimento sustentável (PPP EA, 2009).

Em pleno funcionamento e cumprindo ao seu papel social, por meio de atividades intensas de ensino, pesquisa e extensão, o Departamento de Engenharia Ambiental (DEA) tem subsidiado, além do curso de graduação, o curso de Pós-Graduação “lato sensu” em Engenharia Ambiental (2008-2009), e cursos de formação de professores e gestores ambientais. Em conjunto, projetos de pesquisa e extensão têm sido desenvolvidos, no âmbito do Grupo de Pesquisa em Engenharia Ambiental que conta atualmente com dez pesquisadores (com mestrado e doutorado), 25 estudantes (de graduação e mestrado) e dois técnicos, e do Grupo de Pesquisa em Águas Superficiais e Subterrâneas, no qual atuam quatorze pesquisadores (com mestrado e doutorado), dez estudantes (de graduação e mestrado) e dois técnicos.

O êxito de tais ações, aliadas à grande carência e demanda por parte da sociedade por cursos de aperfeiçoamento, motivou o corpo docente do DEA a buscar suprir tal lacuna com oferecimento do curso de pós-graduação “strictu sensu”, o Mestrado Profissional em Rede Nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos – ProfÁgua, o que permitiu a ampliação de seu papel social e ambiental.

Em conjunto com a necessidade de ações para fazer frente às demandas de um acelerado crescimento populacional e econômico, vem a corroborar o fato de que a reestruturação do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária contribuirá para a necessária formação de quadros acadêmicos e científicos, bem como para a produção e disseminação de conhecimentos, por meio do ensino, da pesquisa e da extensão, fundamentais para um desenvolvimento sustentável dessa importante parcela da região da Amazônia.

 

Ato de Reconhecimento e Renovação de Reconhecimento 

Reconhecimento

Portaria n. 655, de 11 de dezembro de 2013

Clique Aqui

 

Renovação de Reconhecimento

PORTARIA MEC No - 1.094, DE 24 DE DEZEMBRO DE 2015

Clique Aqui

 

Registro E-mec

201003990

 

Histórico do curso; portaria de criação (ou ato de convalidação)

Resolução 113/CONSEA, de 09 de janeiro de 2006

Resolução 219/CONSEA, de 03 de dezembro de 2009

Resolução 277/CONSEA, de 01 de junho de 2012

Resolução 476/CONSEA, de 17 de abril de 2017

 

Conceito Preliminar de Curso - CPC

 4

Clique para acesso ao E-mec 

 

 Período de Funcionamento 

Integral (manhã, tarde e noite)

 

Carga Horária Mínima

4680 horas 

 

Periodicidade 

10 semestres 

 

Vagas Anuais Autorizadas

45