FAQ - Perguntas Frequentes


O que faz um Bacharel em Engenharia Ambiental e Sanitária?

O Bacharel em Engenharia Ambiental e Sanitária é um profissional preparado para exercer diversas atividades técnicas relacionadas a preservação ambiental. Atua em quatro grandes áreas:  tecnologia ambiental, recursos hídricos, geotecnia ambiental e gestão. Entre as funções de trabalho desse engenheiro estão o planejamento, gerenciamento e licenciamento ambiental, estudos do clima, tratamento de água e esgotos, mineração, gestão de recursos hídricos e energia renováveis, remediação de áreas degradadas, elaborar tecnologias limpas, cuidar da economia e educação ambiental, auditorias e gerenciamento de resíduos sólidos.Sua profissão é regulmentada pelo Conselho Federal de Engenharia e Agronomia - CONFEA/CREA por meio da resolução nº 447 de 22 de setembro de 2000. Clique no link a seguir para acessar a resolução: http://normativos.confea.org.br/downloads/0447-00.pdf.

 

Qual o salário médio de um engenheiro ambiental?

De acordo com a legislação brasileira, o salário do engenheiro ambiental é definido de acordo com a carga horária de trabalho, sendo:

  • jornada de 6 horas diárias = 6 salários-mínimos;
  • jornada de 7 horas diárias = 7,25 salários-mínimos;
  • jornada de 8 horas diárias = 8,5 salários-mínimos.

Qual o tempo de duração do curso?

O tempo mínimo do curso é de 5 anos e o tempo máximo é de 8 anos.

Qual é o turno de funcionamento do curso?

O curso é em turno integral (matutino, vespertino e noturno).

 

Links Importantes

Guia do Estudante

Manual de Procedimentos Acadêmicos

Grade Curricular do Curso

Auxílios Acadêmicos 

 

 

 

Perguntas Frequentes sobre o Ensino Remoto emergencial

A seguir estão listadas as perguntas mais frequentes efetuadas por docentes e discentes a respeito do ensino remoto emergencial e suas respostas correspondentes. Caso você tenha alguma pergunta não contemplada, por favor, envie um e-mail para reitoria@unir.br.
 
Para melhor entendimento, recomendamos a leitura da Resolução 254/2020/CONSEA (clique aqui) e da Instrução normativa 02/2020/SGR/REI/UNIR (clique aqui)

 

    • Quais são as datas principais quanto à continuidade do semestre (início, final, lançamento de notas, entre outros)?

As datas estão previstas no cronograma de ajuste anexo à IN 2/2020/SGR/REI/UNIR (que pode ser acessada clicando aqui).

  

    • As aulas serão reiniciadas a partir das aulas já ocorridas em fevereiro/março/2020?

Sim, trata-se de continuidade das aulas já iniciadas e ministradas em fevereiro e março de 2020.

 

    • E o que fazer com o que já foi ministrado em fevereiro e março/2020?

As atividades já realizadas no início do ano devem ser consideradas por tratar de continuidade de disciplinas já iniciadas. Os dias integralizados estão descritos no cronograma de ajuste anexo à IN 2/2020/SGR/REI/UNIR.

 

    • Quando serão iniciadas as aulas/atividades?

As atividades devem seguir o cronograma de ajuste anexo à IN 2/2020/SGR/REI/UNIR, de 18/09/2020.

 

    • Cada departamento pode estabelecer as datas de início e fim do semestre?

Não, os departamentos devem seguir o cronograma de ajuste constante no anexo da IN 2/2020/SGR/REI/UNIR, de 18/09/2020.

 

    • Há possibilidade de abertura de novas turmas e disciplinas?

Não, a autorização é de continuidade às disciplinas e turmas já iniciadas, não havendo possibilidade de abertura de novas turmas.

 

    • É possível ofertar disciplinas de forma modular?

Não há possibilidade de oferta de disciplinas de forma modular.

 

    • É possível alterar o docente responsável por uma disciplina que já esteja cadastrada/ofertada em 2020.1?

Sim, as disciplinas já inseridas no SIGAA podem ter alterações no docente responsável, mediante solicitação do departamento à DIRCA/SERCA.

 

    • Pode haver compartilhamento de disciplinas entre 2 ou mais docentes?

Sim, pode haver compartilhamento de disciplina, mediante solicitação do departamento à DIRCA/SERCA.

 

    • É possível dividir as turmas?

Não, ao dividir a turma, seria necessária a criação de disciplina nova, o que não é permitido neste momento.

 

    • Como ficará o registro das aulas assíncronas?

As aulas serão cadastradas previamente como aulas extras, para que não haja limitação de aulas por dia. Mais informações podem ser obtidas no site www.dirca.unir.br.

 

    • Como ficará a oferta de disciplinas para 2020.2?

Ainda não há definição para o assunto, sendo alvo de futura normativa.

 

    • Todas as alterações e adequações sugeridas pelo NDE devem ser apreciados pelas câmaras e conselhos?

As decisões que envolverem alteração de PPC devem ser apreciadas/aprovadas por todas as instâncias competentes antes de serem implantadas. Contudo, eventuais ajustes para as aulas remotas devem ser aprovados pelo conselho de departamento.

 

    • Quanto às medidas de proteção e recomendações para estágios?

Cabe ao departamento deliberar sobre a forma e oferta de estágios, conforme suas especificidades.

 

    • Há previsão para início da atividade de monitoria?

Não há previsão de participação de monitores no ensino remoto emergencial.

 

    • Haverá curso de nivelamento para alunos quanto ao uso das ferramentas para o ensino remoto emergencial?

Não, a UNIR não fará nivelamento dos discentes para uso das ferramentas de informação e comunicação, contudo a DIRCA tem disponibilizado vídeos e orientações na página www.dirca.unir.br

    • Como ficará o vínculo do estudante que optar por não aderir ao Ensino remoto emergencial?

O discente que não aderir ao ERE, terá seus direitos garantidos no retorno ao ensino presencial, ressalvados os casos que independem de ação da UNIR, como editais externos, por exemplo.

O discente que optar por não iniciar as atividades remotas, será considerado “trancado” no sistema, com a ressalva que não serão prejudicados após o retorno presencial conforme resolução 254/2020/CONSEA. (que pode ser acessada clicando aqui).

Destacamos que nesse caso, é possível a emissão de declaração de vínculo “ativo” pelo SIGAA. Caso a declaração não atenda as necessidades do discente, as SERCAs poderão emitir declaração complementar mediante solicitação/justificativa.

    • O aluno deverá efetuar a matrícula?

Não serão efetuadas novas matrículas, posto que se trata de continuação das disciplinas e turmas já iniciadas. Dessa forma, não é necessário efetuar matrícula.

 

    • O que deve fazer o discente que não deseja aderir ao ensino remoto emergencial?

O discente que não deseja aderir ao ensino remoto emergencial deve efetuar o trancamento das disciplinas no SIGAA, podendo realizar a solicitação até 20/11/2020.

 

    • Como funciona o trancamento?

O discente pode solicitar trancamento parcial (de uma ou mais disciplinas) ou trancamento geral (de todas as disciplinas), devendo realizar a solicitação via SIGAA até 20/11/2020.


    • O chamamento/comunicação aos discentes será feito pela DIRCA ou pelo departamento?

Os departamentos e docentes devem interagir diretamente com os discentes.

 

    • Como será feita a comunicação aos discentes para manifestação sobre continuidade ou não das disciplinas por ensino remoto?

Os departamentos/docentes devem consultar aos discentes por qualquer meio de comunicação (SIGAA que dispara email à turma, e-mail, telefone, publicação no site/mídia social do departamento, entre outros). Recomendamos que a comunicação seja feita em quantos canais possíveis, havendo ampla divulgação.

Após a comunicação com os discentes, o departamento deverá encaminhar listagem à DIRCA/SERCAs com a informação sobre docentes e discentes que aderiram ao ensino remoto (continuidade ou cancelamento de disciplinas), nos prazos previstos no cronograma anexo à IN 2/2020/SGR/REI/UNIR.


    • O que o aluno deverá fazer para confirmar sua matrícula no SIGAA?

No SIGAA não há campo para confirmação de matrícula, basta o discente que quer continuar com a disciplina não solicitar o seu trancamento.

    • Há necessidade de convalidação das aulas remotas?

Não, as aulas e atividades remotas foram autorizadas pelas instâncias competentes, iniciando-se pelo MEC e posteriormente pela Resolução 254/2020/CONSEA e IN 2/2020/SGR/REI/UNIR. Dessa forma, por se tratar de procedimento previamente aprovado, não há que se falar em convalidação.

 

    • Há previsão de retorno das atividades presenciais?

Ainda não há previsão de retorno de atividades presenciais posto que se deve avaliar os futuros desdobramentos da COVID-19.